Imagem 1
Imagem 2
Imagem 3
Imagem 4
1 2 3 4

Livros Facultativos

Livros Facultativos

 

a) Razão – Este é o livro auxiliar mais importante, e algumas legislações chegam a considerá-lo obrigatório, tais os serviços que pode prestar ao esclarecimento das atividades comerciais. Funciona como um índice do Diário e a sua escrituração se faz segundo os títulos dos lançamentos desse livro. Assim, a qualquer momento se poderá verificar a situação exata de cada conta constante do Diário, sendo, porém, que o Razão não contém o histórico do lançamento, como acontece com aquele. Faz-se, apenas, uma remissão ao assento do Diário, em que consta o histórico do lançamento.

 

  b) Caixa – O Caixa é outro livro auxiliar do comerciante, destinado a registrar todas as operações realizadas a dinheiro. É, como o Razão, um poderoso auxiliar do comerciante, facilitando grandemente a escrituração do Diário. Alguns comerciantes chegam, mesmo, a registrá-lo na Junta Comercial, como se fosse um livro obrigatório, e nas atividades comerciais tem papel importantíssimo.

 

  c) Conta-Corrente – Este livro tem por finalidade escriturar, separadamente, as contas de cada freguês do estabelecimento comercial. É um desdobramento do título Conta Corrente do Razão. Existe uma sequência lógica na escrituração do Diário, Razão e Conta-Corrente. Enquanto no primeiro são lançadas, cronologicamente, todas as operações realizadas pelo comerciante, qualquer que seja a sua origem ou modalidade, o Razão distribui os diversos títulos dessas contas, escriturando-as de per se. O Conta-Corrente faz o desdobramento do título Contas-Correntes do Razão, estampando as operações de cada freguês do estabelecimento. Serve, assim, este livro para mostrar a situação individual de cada pessoa que possui relações com o estabelecimento.

 

  d) Borrador, Costaneira ou Memorial – Neste livro os comerciantes lançam as operações realizadas a cada momento, com a finalidade de servir esse registro como base para a escrituração dos outros livros. É, assim, um apanhado geral das atividades diárias do comerciante e pode ser retificado a qualquer momento, pois, na realidade, serve apenas de borrão.

 

  e) Livro de Estoque – Serve este livro para a anotação das mercadorias ou material que entram e saem do estabelecimento. É um livro de controle do comerciante, que tem a utilidade de dar-lhe, a qualquer momento, a situação exata das mercadorias e de outros bens que possui no estabelecimento.

 

  f) Livro de Obrigações – O Livro de Obrigações, que pode ser subdividido em Livro de Obrigações a Pagar e Livro de Obrigações a Receber, destina-se no assento das obrigações ativas ou passivas que o comerciante tem a cumprir. É, também, um livro de controle do comerciante, servindo para lembrar as datas em que deve satisfazer os seus compromissos ou receber importâncias que lhe são destinadas, resultantes de operações comerciais. Pelo Livro de Obrigações o comerciante pode saber, em dado momento, qual a sua verdadeira situação, em face dos compromissos assumidos e das disponibilidades com que pode contar para a satisfação dos mesmos.

 

 

Citação, Transcrição, Interpretação e Paráfrases das principais obras, "exclusivamente para fins de estudo":

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

  

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 




 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

atualizado em  02-10-2014//00:08:48

 


Referências Consultadas

 

Direito Ao Alcance De Todos